Poema

Jesuton é criolidade em corpo e alma. Nascida em Londres, filha de mãe jamaicana e pai nigeriano, viveu no Brasil e agora escolhe Lisboa para sua morada.

Estudou Ciências Humanas em Oxford, cantou nas ruas do Rio de Janeiro e depois nos grandes palcos do Brasil, laçou álbuns, representou em séries, curtas e longas e aposta agora na produção realização do seu primeiro projeto de curtas metragens.

Recheada de talentos, influências e sonhos, Jetuson transborda energia e sensibildiade em tudo o que faz e empresta-nos um pouco dessa efervescência no poema do mês de Agosto desta nossa Lisboa Criola.

 Instagram

Mais: https://linktr.ee/Jesuton

Boas Viagens
por Jesuton

Perambulando no ponto da lingua

Tempos entre tempos

Sombras, vibram na pagina

Verdades, quantas cabem?

 

Esticada nos seus braços

Infinitamente sua semente

Plantada na escuridão

 

Mas olha:

Hoje seus ramos correm por todo lado

E fazem pontes

Já longe da minha compreensão

 

Arranco

Intimidades anfíbias

Que pousam em peitos distantes.

Eu vejo elas partirem

Desejo

Boas viagens

Lisboa mestiça que há muito deixou de ser a cidade branca e tornou-se num mundo, grande e pequeno
Esse perfume que se conhece encerra-se em ciúme E faz de nós seus fiéis. Percorro o teu corpo, dos lábios à Almirante Reis.
Eu cri em ti e vi, Lisboa, dares-me o que nunca ninguém deu - um espaço onde pudesse ser puro, onde ser crioulo não fosse duro.